Notícias sobre Grécia e Espanha derrubam bolsas europeias 

As bolsas europeias fecharam em queda o primeiro pregão da semana após os rumores sobre a quebra da Grécia e a situação da Espanha. Em Londres, o índice FTSE 100 fechou com perdas de 2,09%, aos 5.533 pontos; o DAX, em Frankfurt, obteve perdas de 3,18%, aos 6.419 pontos; e em Paris, o índice CAC-40 desvalorizou 2,89%, aos 3.101 pontos, e o Ibex 35, de Madri, caiu 1,10%.

“Na semana anterior os investidores voltaram as suas atenções aos discursos de Ben Bernanke, mas como não tiveram nenhuma novidade neste final de semana, hoje as atenções estão atentas ao cenário europeu, principalmente a Espanha”, disse Pedro Galdi, analista de investimentos da SLW Corretora

Lá fora o sentimento negativo prevalece, com as atenções focadas na Espanha, onde notícias de que mais regiões poderiam pedir ajuda financeira ao governo central causaram queda no preço dos títulos de dívida soberana do país; e Grécia, que receberá amanhã uma delegação de credores para negociações de seus compromissos, em meio a especulações de que o FMI poderia interromper sua ajuda a Atenas.

Diante deste pessimismo, a dívida espanhola seguia nesta segunda-feira alcançando máximos históricos e o bônus há dez anos superou no início da manhã os 7%, a 7,343%, em um mercado dominado pela desconfiança em relação ao país e pelo temor de um resgate global de sua economia.

Gerando ainda mais cautela nos investidores, a economia espanhola, que entrou em recessão no primeiro trimestre do ano, caiu 0,4% no segundo, diminuindo com um ritmo "mais intenso" entre abril e junho do que nos dois trimestres anteriores, segundo as estimativas publicadas nesta segunda-feira pelo Banco da Espanha.

Coincidindo com um dia difícil no ambiente europeu, os investidores pagam à Alemanha pela emissão de títulos há 12 meses. Com isso, as agentes pagaram nesta segunda-feira à Alemanha pelo empréstimo de dinheiro há 12 meses, anunciou o banco central, evidenciando a forte cautela do mercado, que busca valores de refúgio como é o caso dos títulos da maior economia europeia. O rendimento do leilão da dívida há 12 meses marcou um novo recorde negativo, de -0,054%, informou o Bundesbank em um comunicado.

Para finalizar, a agenda econômica europeia contou a divulgação negativa dos dados preliminares da confiança do consumidor na Zona do Euro. O índice caiu para -21,6 pontos em julho, contra os -19,8 pontos observados no mês imediatamente anterior, de acordo com informações preliminares divulgadas hoje pela Comissão Europeia.