Demanda das empresas por crédito cresce 14,4% em março 

A quantidade de empresas que procurou crédito em março cresceu 14,4% em relação ao mês imediatamente anterior, revelou o Indicador Serasa Experian da Demanda das Empresas por Crédito. Na comparação anual, isto é, considerando-se o mesmo mês do ano passado, houve avanço de 5,5%. Com isto, o primeiro trimestre encerrou com uma alta de 0,8% na procura das empresas por crédito (na comparação com o mesmo período do ano passado), acelerando-se em relação à alta de 0,2% observada último trimestre de 2011 (frente ao 4º trimestre de 2010).

Segundo os economistas da Serasa Experian, a ligeira aceleração verificada na demanda das empresas por crédito neste primeiro trimestre de 2012 é um sinal de que a atividade econômica permaneceu fraca neste início de ano, porém ligeiramente melhor do que o último trimestre do ano passado.

Com isso, todos os setores econômicos cresceram as suas demandas por crédito em março/12. O destaque ficou por conta do setor de serviços, que apresentou alta de 15,8% frente a fevereiro/12. Logo em seguida, as empresas comerciais avançaram em 14,0% a sua demanda por crédito e, por último, as empresas industriais a expandiram em 12,2%.

Vale lembrar que no encerramento do primeiro trimestre, as empresas industriais terminaram na liderança em termos de busca por crédito, registrando alta de 3,1% em comparação ao primeiro trimestre do ano passado. Foram seguidas de perto pelas empresas de serviços, que acusaram alta de 2,8% neste mesmo critério de comparação. Já as empresas comerciais foram as únicas que encerraram o primeiro trimestre com recuo (-1,2%) em suas procuras por crédito. O fraco movimento das vendas de final de ano e o nível elevado da inadimplência do consumidor são algumas das causas que impactaram a baixa demanda das empresas comerciais por crédito neste início de 2012.

Em todas as regiões geográficas do país, com exceção da Centro-Oeste, houve aumento de procura por crédito das empresas neste primeiro trimestre do ano. O destaque ficou para a região Sul com alta de 2,0%, seguida pelo avanço de 1,7% das empresas nordestinas.

 As expectativas de uma menor safra de grãos neste ano, em especial da soja (recuo de 11,1% em relação à safra do ano anterior, de acordo com o último levantamento do IBGE), pode ter impactado negativamente a demanda por crédito das empresas do Centro-Oeste brasileiro.

 A procura das empresas por crédito neste primeiro trimestre de 2012 variou proporcionalmente conforme o porte: houve maior procura por crédito nas grandes empresas (alta de 16,1% frente ao primeiro trimestre de 2011) e menor procura nas pequenas empresas (alta de apenas 0,2% no primeiro trimestre de 2012). Já nas médias  empresas a demanda por crédito foi 9,9% superior no primeiro trimestre de 2012 na comparação com o mesmo período do ano passado.

Por fim, a maior presença de empresas industriais entre as médias e grandes empresas justifica a maior demanda por crédito pelas empresas destes portes, tendo em vista os estímulos ao setor industrial adotados pelo governo já há alguns meses.