IGP-M avança na primeira prévia do mês 

O Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M) variou 0,50%, na primeira prévia do mês de abril, segundo a Fundação Getulio Vargas (FGV). Para o mesmo período de apuração do mês anterior, a variação foi de 0,23%. O primeiro decêndio do IGP-M de abril compreendeu o intervalo entre os dias 21 e 31 do mês de março. 

O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) registrou variação de 0,47%, no primeiro decêndio de abril. No mesmo período do mês de março, a taxa foi de 0,21%. A taxa de variação do índice referente a Bens Finais avançou de 0,09% para 0,58%. Contribuiu para este movimento o subgrupo alimentos processados, cuja taxa passou de -0,84% para 1,33%. No estágio dos Bens Intermediários, a taxa de variação passou de 0,60% para 0,42%. A principal contribuição para este recuo partiu do subgrupo materiais e componentes para a manufatura, que passou de 0,70% para 0,32%. 

O índice referente a Matérias-Primas Brutas registrou variação de 0,39%. No mês anterior, a taxa foi de -0,16%. Os itens que mais influenciaram a trajetória deste grupo foram: soja (em grão) (2,23% para 7,59%), minério de ferro (-0,78% para 0,46%) e café (em grão) (-6,59% para -5,79%). Com taxas em sentido descendente, destacam-se: aves (3,90% para -1,39%), milho (em grão) (-0,82% para -1,79%) e mandioca (aipim) (-5,03% para -8,95%). 

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) apresentou, no primeiro decêndio de abril, taxa de variação de 0,47%. No mesmo período do mês anterior, a taxa foi de 0,25%. Sete das oito classes de despesa componentes do índice registraram avanço em suas taxas de variação. O principal destaque foi o grupo Alimentação (0,06% para 0,46%). Nesta classe de despesa, a maior contribuição partiu do item carnes bovinas, cuja taxa passou de -3,13% para -0,69%. Também foram computados acréscimos nas taxas de variação de outras seis classes de despesa: Vestuário (-0,35% para 0,78%), Transportes (0,19% para 0,39%), Saúde e Cuidados Pessoais (0,33% para 0,58%), Educação, Leitura e Recreação (0,09% para 0,31%), Despesas Diversas (0,17% para 0,34%) e Comunicação (0,03% para 0,06%). Contribuíram destacadamente para a trajetória de aceleração desses grupos os itens: roupas (-0,54% para 1,21%), etanol (-2,11% para 1,48%), artigos de higiene e cuidado pessoal (0,19% para 1,13%), hotel (0,20% para 1,92%), serviço religioso e funerário (0,95% para 1,23%) e mensalidade para TV por assinatura (0,26% para 0,58%), respectivamente. Em contrapartida, apenas o grupo Habitação apresentou decréscimo em sua taxa de variação (0,67% para 0,57%). Nesta classe de despesa, a principal contribuição partiu do item empregados domésticos (2,83% para 2,08%). 

O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) apresentou, no primeiro decêndio de abril, taxa de 0,76%. No primeiro decêndio de março, a taxa foi de 0,33%. O índice relativo a Materiais, Equipamentos e Serviços registrou variação de 0,43%. No mês anterior, a taxa havia sido de 0,64%. 

O índice que representa o custo da Mão de Obra variou 1,08%, no primeiro decêndio de abril. Na apuração referente ao mesmo período do mês anterior, o índice variou 0,03%.