Bolsas europeias fecham em queda refletindo dados da China 

As principais bolsas da Europa encerraram o pregão desta terça-feira em queda influenciadas pelas notícias negativas sobre a crise europeia e a desaceleração da economia chinesa. No final da sessão, em Paris, o índice CAC-40 desvalorizou 3,08%, aos 3.217 pontos; em Frankfurt, o índice DAX 30 fechou com queda de 2,49%, aos 6.606 pontos, e em Londres, o índice FTSE-100 caiu 2,24%, aos 5.595 pontos.

No gigante asiático, a agência oficial Xinhua (Nova China), divulgou que em março, o comércio exterior da China registrou resultado positivo, apresentando um superávit de US$ 5,35 bilhões. 

Neste contexto, as exportações aumentaram 8,9% em ritmo anual, a US$ 165,66 bilhões, enquanto as importações chegaram a US$ 160,31 bilhões, uma alta de 5,3%, o que indica uma forte desaceleração do crescimento do comércio exterior da segunda maior economia mundial.

Na agenda do Velho Continente, destaque para o saldo comercial da Alemanha que apresentou um resultado de € 14,7 bilhões em fevereiro. Vale destacar que em janeiro o número foi de € 13,2 bilhões, segundo instituto federal de estatísticas Destatis. Com isso, as exportações no período chegaram a € 91,3 bilhões, um aumento de 1,6% na comparação com janeiro, enquanto as importações subiram 3,9%, a € 77,4 bilhões.

Para finalizar, hoje, a Grécia captou € 1,3 bilhão em títulos do Tesouro a seis meses, com uma taxa de juros de 4,55%, inferior ao rendimento pago na última emissão similar, anunciou a Agência de Gestão da Dívida Pública (PDMA).