Anúncio da Caixa derruba papéis de construtoras

O pregão desta segunda-feira não foi positivo para as ações das companhias de construção civil, que fecharam com retração, pressionadas pelo cenário interno.

Para Alan Oliveira, analista financeiro da FuturaInvest, um anúncio da Caixa Econômica Federal também pesou no desempenho dos papéis do setor.

A Caixa comunicou o programa Caixa Melhor Crédito, que visa à democratização do acesso ao crédito para as famílias brasileiras e melhores condições de financiamento para micro e pequenas empresas. 

Para 2012, a Caixa programou um volume de concessão de crédito da ordem de R$ 300 bi, 24% superior ao que foi contratado durante todo o ano de 2011. “Esse montante, porém, não inclui o setor imobiliário, fazendo com que as ações de empresas do segmento despencassem”,acrescenta. 

Além disso, o analista da FuturaInvest acredita que o mau desempenho da principal praça acionária doméstica colaborou para o pessimismo dos investidores das construtoras. 

O Ibovespa encerrou com retração de 1,18%, aos 63.528 pontos, fechando com volume financeiro de R$ 6.815 bilhões. 

Entre as companhias, no final da sessão, as ações ordinárias da PDG Real terminaram com baixa de 4,55%, vendidas à R$ 5,66. No mesmo sentido, os papéis da Rossi (ON) e da Cyrela (ON) finalizaram com valorização de 4,24% e 4,10%, respectivamente, e foram vendidos à R$ 9,72 e R$ 16,59, nesta ordem.