Por empréstimo de 78 bi de euros, Portugal supera novo exame de credores

Portugal superou o terceiro exame de seus credores pela aplicação de medidas recomendadas em troca de um empréstimo de 78 bilhões de euros, embora ainda existam dúvidas sobre a capacidade do país de relançar sua economia.

"Este resultado positivo ilustra nossa capacidade de aplicar um programa exigente, apesar da evolução desfavorável do contexto que nos envolve", disse o ministro das Finanças, Vitor Gaspar, em uma coletiva de imprensa ao término da avaliação trimestral da Troica (FMI, UE, BCE), que representa os credores públicos de Portugal.

A superação do exame permitirá a entrega da nova parcela de 14,6 bilhões de euros ao país.

"Depois de três exames regulares concluídos com sucesso e quatro entregas, recebemos de nossos sócios internacionais 48,8 bilhões de euros, deles 4,3 bilhões reservados à capitalização dos bancos", disse o ministro, antes de ressaltar que "o processo de ajuste de Portugal avança como o previsto".

A União Europeia, o Banco Central Europeu e o Fundo Monetário Internacional previam emitir um comunicado conjunto às 13H00 GMT (10H00 de Brasília).

No entanto, Gaspar anunciou uma revisão em queda das previsões de crescimento para a economia portuguesa neste ano e prevê, assim como a Comissão Europeia, uma recessão de 3,3% do PIB, contra os 3% anteriores.

Terceiro país da Eurozona a se beneficiar de um plano de resgate financeiro, depois de Grécia e Irlanda, Portugal se comprometeu a aplicar um plano de extrema austeridade e reformas ao longo de três anos em troca de um empréstimo concedido em maio de 2011 pela UE e pelo FMI.

As previsões econômicas pouco alentadoras alimentam temores de que Portugal possa se ver obrigado a pedir uma ajuda adicional ou a ampliação do plano de ajuda, ou, inclusive, assim como a Grécia, uma reestruturação da dívida.

O primeiro-ministro Pedro Passos Coelho rejeitou estes temores repetindo em várias ocasiões que seu país não pedirá "nem mais tempo, nem mais dinheiro" aos seus credores.