Dados econômicos mundiais contribuem para alta do Ibovespa 

O Ibovespa, principal índice da Bolsa de Valores de São Paulo fechou o segundo pregão da semana em alta influenciado por informações do parlamento alemão e indicadores positivos dos Estados Unidos. Com isso, o principal índice acionário brasileiro fechou com alta de 1,10%, aos 65.958 pontos, com giro financeiro de R$ 6.831 bilhões.

Segundo Pedro Galdi, analista de investimentos da SLW Corretora, o mercado estava bem otimista hoje, sem notícias negativas.

No Velho Continente, a possibilidade de injeção de liquidez do Banco Central Europeu (BCE) em operação que acontecerá na quarta-feira animou os investidores no início da manhã. Além disso, ontem foi aprovada pelo Parlamento da Alemanha a contribuição do país de € 36 bilhões no pacote de resgate financeiro à Grécia (€ 130 bilhões).

Na agenda europeia destaque para o índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) alemão registrou alta de 2,3% no mês de fevereiro, na comparação com o mesmo período do ano anterior. 

Já em Wall Street, o mau resultado das encomendas de bens duráveis não conseguiu desanimar o mercado que após a divulgação da Confiança do Consumidor ficou ainda mais animado.  As novas encomendas às indústrias norte-americanas diminuíram em US$ 8,6 bilhões, representando queda de 4% em janeiro. Em contrapartida, a confiança do consumidor dos EUA avançou a 70,8 pontos em fevereiro.

Por aqui, o Ibovespa fechou em alta influenciado pelo mercado internacional.

Entre as oscilações positivas em destaque na sessão estão os papéis da Gol (PN), que avançavam 6,20% e da MMX (ON) que apresentavam alta de 4,95%. Em contrapartida, entre os destaques negativos, aparecem a ALL (ON), com baixa de 3,16%, e a OGX (ON), com declínio de 2,94%.