Sarkozy e Merkel pedem bloqueio de juros da dívida grega em conta

O presidente francês, Nicolas Sarkozy, e a chanceler alemã, Angela Merkel,  propuseram nesta segunda-feira que os juros da dívida grega sejam bloqueados em uma conta, e pediram para que os gregos "respeitem 'escrupulosamente' seus compromissos.

"Os gregos assumiram compromissos que devem respeitar escrupulosamente, não há outra opção". "Os juros da dívida grega devem permitir a segurança de que esse dinheiro estará disponível duradouramente", disse Merkel durante uma coletiva de imprensa dada pelos dois líderes.

A chanceler alemã, Angela Merkel, afirmou por sua vez nesta segunda-feira que deseja que a Grécia "permaneça na zona do euro", mas advertiu que o país não receberá novas ajudas se não chegar a um acordo com a União Europeia (UE) e o FMI.

"Não pode haver um novo programa se a Grécia não chegar a um acordo com a Troika", que reúne a CE, o BCE e o FMI, disse Merkel durante coletiva de imprensa realizada em Paris junto com o presidente francês Nicolas Sarkozy.

O governo grego negocia há semanas as medidas de ajustes exigidas por Bruxelas em troca de um empréstimo de ao menos 130 bilhões de euros, que se somariam aos 110 bilhões acordados em maio de 2010 para evitar a quebra do país.