Confiança do comércio cai 6,8% no último trimestre de 2011, diz FGV 

A confiança dos empresários do comércio na economia brasileira caiu 6,8% no trimestre encerrado em dezembro, na comparação com o mesmo período de 2010. Segundo dados divulgados hoje (10) pela Fundação Getulio Vargas (FGV), o Índice de Confiança do Comércio (Icom) ficou em 128,4 pontos, depois de atingir 137,9 em igual período do ano passado. 

De acordo com a FGV, o resultado é o pior da série histórica, iniciada em maio de 2011, e os números confirmam “o momento de desaceleração da atividade do setor”. No trimestre encerrado em novembro, em relação ao mesmo trimestre de 2010, a queda havia sido de 4,5%.

De acordo com a FGV, a percepção do setor em relação ao momento atual piorou na comparação com igual período do ano passado. O Índice de Situação Atual (ISA-COM) registrou queda de 9,7%, a maior desde maio. Em novembro, houve queda de 6,5%.

Na média do trimestre finalizado em dezembro, 26,7% das empresas consultadas avaliaram a demanda atual como forte, menos do que as 31% que tiveram essa percepção no mesmo período de 2010. Já 16,9% a consideraram fraca no último trimestre de 2011, parcela maior do que o observado um ano antes, que atingiu 9,5% dos negócios.

O estudo também revela que a percepção das empresas do setor em relação aos meses seguintes se tornou menos favorável. O Índice de Expectativas (IE-COM) caiu 4,6% em dezembro na comparação com o ano anterior. Em novembro, a queda havia sido de 3%. Entre os quesitos que compõem o IE-COM, as vendas nos três meses seguintes foi o que mais contribuiu para a redução do otimismo. Entre as empresas sondadas, 56,2% esperam melhora nas vendas e 10,1% piora, contra 60,7% e 6,7%, respectivamente, em 2010.

A Sondagem Conjuntural do Comércio é um monitoramento que antecipa tendências econômicas com bases em informações prestadas por empresas do setor. Para esta edição, os levantamentos foram feitos entre 1º e 23 de dezembro. Ao todo, foram ouvidas 1.244 empresas.