EUA: desemprego recua e contratações aceleram 

As cifras de emprego dos Estados Unidos em dezembro trouxeram boas notícias nesta sexta-feira sobre o estado da economia do país, e dão conta de um importante aumento das contratações, segundo o relatório mensal do Departamento de Trabalho.

A economia americana criou 200.000 empregos em dezembro, duas vezes mais que em novembro, e a taxa de desemprego do país continuou em queda para registrar 8,5%, seu nível mais baixo desde fevereiro de 2009, segundo dados oficiais divulgados nesta sexta-feira.

As cifras do relatório mensal sobre o emprego divulgada pelo Departamento do Trabalho são melhores que o previsto. A estimativa média dos analistas era de 150.000 criações de empregos e uma taxa de desemprego de 8,7%.

A Casa Branca comemorou os dados e disse que eles são uma "evidência a mais de que a economia continua a sanear a pior crise desde a Grande Depressão" nos anos 1930.

Alan Krueger, presidente do Conselho de Assessores Econômicos da Casa Branca, urgiu ao Congresso a aprovar medidas para assegurar que esta recuperação continue.

No ano passado, a taxa oficial de desemprego retrocedeu 0,9 ponto básico.

Todos os setores da atividade registraram criação de empregos em dezembro, à exceção do setor público, que continuou eliminando funcionários (12.000, 40% menos que em novembro).

Os dados oficiais mostram que durante 2011, o emprego avançou pela primeira vez em quatro anos. Após uma baixa de 0,6% em 2008, 4,4% em 2009 e 0,8% em 2010, aumentou 1,0% em 2011, segundo cifras que serão revisadas nos meses seguintes.

Dos 11,8 milhões de postos de trabalho perdidos durante a crise, o país recuperou 5,4 milhões desde o primeiro trimestre de 2010, de acordo com o Departamento de Trabalho.

Ontem, o Departamento do Trabalho informou que as novas solicitações de subsídios por desemprego recuaram nos Estados Unidos na última semana de 2011.

Segundo dados corrigidos de variações sazonais, o Departamento estimou em 372.000 os pedidos de subsídios por desemprego na semana de 25 a 31 de dezembro, contra 387.000 registrados na semana precedente.

Os analistas esperavam um recuo menor, com 375.000 solicitações.