Remessas de migrantes crescem 8% em 2011 apesar de crise mundial

O Banco Mundial informou que em 2011, as remessas de migrantes para países em desenvolvimento ultrapassaram os US$ 350 bilhões, equivalentes a cerca de R$ 600 bilhões.

A quantia representa um aumento de 8% no envio de dinheiro para casa apesar da crise econômica mundial.

Força-Tarefa

Segundo o órgão, os dados fazem parte de relatórios oficiais, mas as remessas podem ser ainda maiores se forem incluídos os envios informais.

Em 2009, no auge da recessão, as remessas sofreram uma redução de 5%. De acordo com analistas, em 2013, a quantidade de dinheiro enviado à casa por migrantes pode chegar a US$ 400 bilhões.

Por causa do movimento em todas as regiões, o Banco Mundial formou uma força-tarefa para orientar os países sobre como lidar com os chamados “títulos da diáspora”. O objetivo é tentar maximizar as remessas de migrantes para promover ações de desenvolvimento nacional.

Os dados do Banco Mundial sobre a remessa de migrantes são coletados com base em informações do Fundo Monetário Internacional, FMI.