EUA veem Celac como sócio em potencial na região

Os Estados Unidos veem a Comunidade de Estados Latino-americanos e Caribenhos (CELAC) como um sócio em potencial, que realiza, nesta sexta-feira e no sábado, sua primeira cúpula em Caracas, informou hoje um porta-voz do departamento de Estado.

"Os grupos sub-regionais são representantes potencialmente importantes do hemisfério e podem ser sócios úteis para os Estados Unidos", explicou o porta-voz para a América Latina, William Ostick, em um e-mail enviado à AFP.

"Os Estados Unidos interagem com grupos sub-regionais multilaterais para ajudar a resolver problemas de forma construtiva", acrescentou.

Na coletiva de imprensa diária do Departamento de Estado, outro porta-voz, Mark Toner, acrescentou que os Estados Unidos "continuam trabalhando obviamente através da OEA como organização multilateral preeminente na região".

Cerca de 30 chefes de Estado e de governo estão presentes em Caracas para definir de que forma, exatamente, será a Comunidade, que conta, a princípio com todos os membros da Organização dos Estados Americanos, além de Cuba (cuja participação na Organização está suspensa), exceto Estados Unidos e Canadá.

Sob a liderança do venezuelano Hugo Chávez, que encoraja esse novo fórum, a Celac é vista por analistas de Washington como um possível competidor direto da OEA.