Itália: primeiro-ministro diz que população pode ter que fazer mais sacrifícios

O futuro chefe do governo italiano, Mario Monti, disse nesta segunda-feira que os italianos poderão ter que fazer mais sacrifícios para cumprir as medidas necessárias para que o país saia da crise.

Interrogado durante uma coletiva de imprensa sobre o que esperava dos italianos, Monti respondeu: 

"Sangue? Não. Lágrimas? Menos ainda. Sacrifícios? Talvez".

Segundo o novo primeiro-ministro italiano, seu governo deverá permanecer no poder até 2013, mas não há uma data certa.

"Uma duração pré-estabelecida tiraria toda sua credibilidade", afirmou.