Ibovespa segue o mercado externo e cai

As principais bolsas do mundo operam em queda na primeira sessão da semana. Por aqui, o Ibovespa segue em linha com o mercado externo e registra queda de 0,47%, aos 58.271 pontos. O giro financeiro até o momento está em R$ 1,73 bilhão.

Na Europa, mesmo com mudança de governo, a situação econômica da Itália e da Grécia ainda continua ditando o tom dos mercados. Portanto, o mercado brasileiro deve acompanhar a tendência das bolsas internacionais, que operam em baixa. Apesar da renúncia de Silvio Berlusconi, primeiro-ministro italiano, no último sábado, os mercados acionários operam no vermelho devido a alta taxa dos juros italianos, que chegou a 6,74% hoje, segundo André Perfeito, economista-chefe da Gradual Investimentos. 

"Os mercados agiram positivamente na sexta-feira devido a proximidade da renúncia de Berlusconi. Por isso, esse fator não foi considerado hoje e está acontecendo a realização dos lucros", explicou Perfeito.

Acompanhando o comportamento ruim das bolsas de valores norte-americanas, o Ibovespa opera em baixa. O movimento negativo das blue chips Vale e Petrobras ajuda a deixar o índice acionário doméstico no vermelho. Há pouco, as preferenciais série A da mineradora caíam 0,33% e as preferenciais da estatal petrolífera perdiam 0,32%.

Os investidores digerem o balanço trimestral da Petrora, divulgado na sexta-feira após o fechamento do mercado. A companhia anunciou lucro líquido de R$ 6,336 bilhões no terceiro trimestre de 2011, com retração de 26% na comparação com os mesmos meses do ano anterior. Nos nove primeiros meses, o lucro da companhia subiu 15%, para R$ 28,264 bilhões.

O mercado monitora ainda o resultado da PDG. A incorporadora de imóveis divulgou hoje os resultados financeiros referentes ao terceiro trimestre de 2011, quando reportou lucro líquido de R$ 265,2 milhões, valor 1% maior do que o registrado em igual intervalo em 2010.

Já as ações dos bancos tem um bom desempenho motivadas pelo anúncio de que o pagamento mínimo no cartão de crédito passará a ser de 15%, destacou Perfeito. Assim, momentos atrás, os papéis preferenciais do Itaú Unibanco subiam 1,82%.

André Perfeito acredita que os agentes temem fechar positivamente hoje, devido ao feriado (15), quando a agenda econômica no exterior será forte e poderá afetar o mercado externo.