Instabilidade na zona do euro causa queda nas bolsas asiáticas e europeias 

A diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde, alertou hoje que a falta de clareza política na Europa provoca instabilidade nos mercados financeiros. Nesta quinta-feira, as bolsas asiáticas operam em baixa em resposta às incertezas europeias. Houve quedas nas bolsas do Japão (2,9%), de Hong Kong (5,3%) e da Coreia do Sul (4,9%). Na Europa, as bolsas de Londres, Frankfurt e Paris abriram em queda de mais de 1%.

Ontem (9) o primeiro-ministro da Grécia, Georgeo Papandreou, formalizou seu pedido de renúncia, um dias depois de o primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi, informar que deixará o cargo. Porém, nos dois países os políticos tentam acordos para garantir a tranquilidade na região.

Christine Lagarde ressaltou que há disposição dos países emergentes no sentido de tentar fortalecer o Fundo Monetário Internacional, o que indiretamente ajuda a zona euro. "A maioria dos países emergentes cujos líderes manifestaram vontade de participar no fortalecimento do FMI o fizeram com a explícita indicação de que isso não deve visar especificamente à zona euro", disse.

Mais uma vez, a diretora-gerente do FMI destacou que "a crise da zona euro poderá atingir outros países que não têm nada a ver com a crise e que têm até sólidas bases econômicas". "Isso é uma clara preocupação. Esses países merecem ter acesso a financiamentos", ressaltou .

Christine Lagarde se reúne hoje com o primeiro-ministro chinês, Wen Jiabao. Ontem, ela se encontrou com o presidente do Banco Central da China, Zhou Xiaochuan, e o vice-primeiro-ministro responsável pela política financeira, Wang Qishan.