Itália: juros recuam após promessa de saída de Berlusconi

A pressão sobre os bônus italianos foi reduzida nesta quarta-feira nos mercados asiáticos, após o anúncio do chefe de governo, Silvio Berlusconi, de que entregará o cargo assim que o Parlamento aprovar as medidas econômicas prometidas à União Europeia (UE).

Na abertura das praças financeiras asiáticas, os juros sobre o papéis italianos a 10 anos caíram para 6,65%, contra 6,77% antes do anúncio de Berlusconi.

Apesar da queda, os juros permanecem em um nível insustentável a longo prazo para a Itália.

Berlusconi prometeu renunciar na terça-feira, ao final de uma reunião de uma hora com o presidente italiano, Giorgio Napolitano, durante a qual reconheceu que estava "consciente das consequências do voto" desta terça-feira na Câmara dos Deputados.

A situação de Berlusconi se tornou insustentável na véspera, após a aprovação das Contas do Estado de 2010, na qual obteve a vitória, mas ficou patente a perda da maioria no Congresso, com a retirada do apoio de uma dezena deputados governistas.

Até o polêmico líder da Liga Norte, Umberto Bossi, aliado importante para a sobrevivência do governo, e que vinha garantindo a Berlusconi há três anos a maioria absoluta no Parlamento, pediu a saída de "Il Cavaliere".