Consumidor reduz gastos e cheques sem fundos apresentam queda em setembro

Brasileiro está evitando novas dívidas para poder comprar no Natal

Foram devolvidos, no mês de setembro, 1,82% dos cheques compensados em todo o país, conforme revela o Indicador Serasa Experian de Cheques Sem Fundos. O percentual é menor que o 1,88% de devoluções verificadas em agosto último. Já na comparação entre setembro de 2011 e setembro de 2010, o levantamento apresentou elevação no percentual de devoluções. No nono mês de 2010, foram devolvidos 1,59% dos cheques compensados.

Na comparação entre os acumulados do ano, por sua vez, também houve evolução no volume de cheques sem fundos. De janeiro a setembro de 2011, foram devolvidos 1,92% de cheques, ao passo que em igual período de 2010 houve 1,80% de devoluções.  

De acordo com os economistas da Serasa Experian, a redução mensal nos cheques sem fundos, em setembro, segue o Indicador Serasa Experian de Inadimplência do Consumidor. Ambos os indicadores apontam que, para chegar ao Natal com melhores condições de consumo, o consumidor está evitando novas dívidas, incluindo o parcelamento com cheque pré-datado. A antecipação da primeira parcela do 13º salário aos aposentados, em setembro, também contribuiu para a renegociação de dívidas.

No entanto, há crescimento na devolução de cheques nas comparações anual (setembro 2011/2010) e acumulado (janeiro a setembro 2011/2010), mostrando que no decorrer deste ano foi mais difícil que no de 2010 para o consumidor honrar as suas dívidas, em razão dos juros e da inflação mais elevados, corroendo salários.

Nos estados e regiões 

De janeiro a setembro, Roraima foi o estado com o maior percentual de cheques devolvidos (11,87%). São Paulo, por sua vez, foi o estado de menor percentual (1,45%). Entre as regiões, a Norte foi a com maior percentual de devolução de cheques nos nove primeiros meses de 2011, com 4,07%. Na outra ponta do ranking está a Sudeste, com 1,56%.