Governo de São Paulo anuncia plano antimiséria de R$ 500 milhões

O governo de São Paulo anunciou na manhã desta segunda-feira um plano de combate à miséria no valor de R$ 500 milhões anuais. Segundo o secretário de Desenvolvimento Social, Rodrigo Garcia, serão contempladas 300 mil famílias (equivalente a 1,08 milhão de pessoas) em todo o estado com a unificação dos cartões do Bolsa Família, do governo federal, e do Renda Cidadã estadual. "Além da complementação da renda, vamos realizar uma agenda social. Num primeiro momento vamos dar o peixe, mas depois ensinar a pescar", disse Garcia.

Além da integração dos programas de distribuição de renda estaduais com os federais, foi lançado um plano de mapeamento das famílias em situação de pobreza extrema por meio de uma ação chamada "Busca Ativa", que vai procurar famílias com renda abaixo de R$ 70 mensais por membro. 

Para receber o benefício, as famílias precisarão firmar o compromisso de usar os benefícios para melhorar de condição. Durante o anúncio, o governador Geraldo Alckmin definiu o anúncio como o "dia mais importante" de seu governo. "O Estado existe para isso, enxergar aquele que sofre e atuar pela melhoria da qualidade de vida", declarou.

De acordo com o governador e o secretário, as visitas de agentes complementarão o trabalho do Censo 2010 realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que identificou os domicílios com menor renda em São Paulo. Serão usados os critérios do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento. 

As visitas levarão ainda cartões de benefício assistencial às famílias que ainda não possuem. A meta é incluir os cem municípios com pior Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) em 2012, ampliando para 480 municípios em 2013 e, finalmente, os 65 das regiões metropolitanas da Baixada Santista, Campinas e capital até 2014.