Berd reduz previsões de crescimento do ex-bloco soviético 

O Banco Europeu para a Reconstrução e o Desenvolvimento (Berd) anunciou nesta terça-feira (local) uma revisão para baixo de suas previsões de crescimento para os países do ex-bloco soviético em 2011 e 2012, como consequência da crise da dívida na Eurozona.

Em um comunicado divulgado em Londres, o Berd disse que as economias dos 29 países da Europa e Ásia analisados crescerão cerca de 4,5% em 2011 e 3,2% em 2012, contra uma previsão anterior estabelecida em julho de 4,8% e 4,4%, respectivamente.

O Berd atribuiu a drástica revisão do dado de 2012 a uma maior desaceleração do crescimento nos países da Europa central e oriental, "que são particularmente vulneráveis às tensões da Eurozona", e especialmente nos dois mais expostos, Hungria e Eslováquia.

Já o Produto Interno Bruto (PIB) da Rússia seguirá registrando um forte crescimento, particularmente antes das eleições presidenciais de 2012, com uma previsão de 4% para este ano e de 4,2% para o próximo.

Quanto a Turquia, o crescimento de sua economia deveria desacelerar-se "consideravelmente" em 2012, para 2,5%, contra uma estimativa de 7,5% em 2011, devido entre outros fatores a uma redução de entradas de capital e a uma queda da demanda externa.

O Berd foi criado em 1991 para acompanhar a transição dos antigos países do bloco soviético para a economia de mercado, e atualmente pertence a 61 Estados que financiam ou recebem sua ajuda.