Ibovespa replica volatilidade externa e sobe 0,2%

A volatilidade persistiu no Índice Bovespa nesta quinta-feira. Os investidores operaram atentos aos desdobramentos da crise europeia, mostrando otimismo com algumas informações e expectativas por medidas concretas.

Desta forma, o Ibovespa acompanhou o ambiente externo instável e terminou o penúltimo pregão da semana com ganho de 0,21%, aos 53.384 pontos. A sessão finalizou com giro financeiro da bolsa de R$ 5,289 bilhões.

“O mercado hoje ficou volátil, operando atrelado ao cenário externo. Algumas notícias positivas vindas da Europa acabaram influenciando positivamente a sessão”, considerou João Pedro Brugger, analista da Leme Investimentos.

Ele se referiu a informação que o Parlamento alemão aprovou nesta quinta-feira, com grande maioria, a ampliação do fundo de resgate da zona do euro, do qual o país será o principal contribuinte. Dos 620 deputados de que integram a Assembleia, 523 votaram a favor do Fundo Europeu de Estabilidade Financeira (FEEF).

Neste sentido, apesar de não ter a mesma relevância que a Alemanha, destacou Brugger, nesta tarde o Parlamento da Estônia aprovou por ampla maioria - 58 votos a favor, 18 contra - a ampliação do fundo de resgate anticrise da zona do euro.

“A aprovação por parte da Alemanha é bem importante, já que o país apresentava certa resistência. Isso pode ser positivo principalmente para os bancos da região, se houver o calote grego eles poderão ter um respaldo desse fundo”, acrescentou o analista da Leme Investimentos.

Para Brugger, indicadores econômicos dos Estados Unidos ajudaram a sustentar o humor dos investidores durante o dia. Dentre os números, o Produto Interno Bruto (PIB) cresceu 1,3% no segundo trimestre deste ano e analistas estimavam expansão de 1,2%. Neste sentido, os novos pedidos de auxílio-desemprego nos Estados Unidos desceram 37 mil na semana passada, ante os sete dias anteriores e as vendas de imóveis pendentes recuaram menos do que o esperado pelo mercado, ao descerem 1,2% em agosto.

O analista da Leme Investimentos enfatizou ainda que o bom comportamento das ações do setor bancário refletiu essa aprovação pelo parlamento alemão. Assim internamente, os papéis preferenciais do Itaú Unibanco (PN) cresceram 0,69%, do Bradesco (PN), aumentaram 1,08% e do Banco do Brasil (BB) (ON) ganharam 1,18%.

Dentre as blue chips, as ações preferenciais série A da Vale tiveram decréscimo de 1,18% enquanto as preferenciais da Petrobras avançaram 0,26%.