Funcionários públicos gregos bloqueiam ministérios antes de retorno de credores

Funcionários públicos gregos bloquearam nesta quinta-feira vários ministérios em protesto pelo novo rigor do plano de ajuste, afirmaram os sindicatos no dia em que a equipe de auditoria do trio de credores (UE, BCE e FMI) deve revisar as contas do país, que está à beira da falência.

"Várias organizações de trabalhadores ocupam a maioria dos ministérios e serviços", afirma um comunicado da Confederação de Sindicatos de Funcionários Públicos (Adedy),

"Estas ocupações acontecem em consequência do retorno dos credores e das medidas bárbaras decididas para cortar ainda mais os salários, introduzir tabelas de salários miseráveis, impor novos impostos e efetuar demissões em massa", completa a nota.

Segundo a imprensa, quase todos os ministérios estavam ocupados pelos manifestantes, especialmente os das Finanças, Desenvolvimento, Justiça, Trabalho, Saúde, Interior e Agricultura.

Na última visita ao país, analistas da União Europeia, do Banco Central Europeu e do Fundo Monetário Internacional constataram desajustes nas contas orçamentárias gregas.

Sob pressão, o governo socialista grego anunciou na semana passada uma série de medidas adicionais para 2011 e 2012, sobretudo a parada técnica de 30.000 funcionários até o fim de 2011, a redução das aposentadorias superiores a 1.200 euros mensais e a obrigação de pagar impostos para as pessoas com renda superior a 5.000 euros anuais.

A Grécia precisa de uma nova parcela de oito bilhões de euros, sobre um total de 110 bilhões concedidos em maio de 2010, para pagar as contas em outubro.