FMI propõe novo mecanismo de prevenção a crises financeiras

O Fundo Monetário Internacional (FMI) propôs nesta terça-feira aos reguladores do sistema financeiro mecanismos para detectar de maneira precoce o surgimento de novas crises.

"Não há ainda um mecanismo sólido de indicadores para detectar os riscos sistêmicos", constatou o FMI em um capítulo de seu "Relatório Sobre a Estabilidade Financeira no Mundo", publicado nesta terça-feira.

Os Estados Unidos, a União Europeia e o Reino Unido criaram recentemente reguladores encarregados de avaliar o risco de uma crise financeira global.

Para eles, "uma identificação precoce da fase de acumulação de riscos é crucial para evitar crises em potencial. Isso dará tempo ao setor financeiro para acumular fundos próprios e margens de segurança em liquidez, assim como para reduzir os riscos", disse o FMI.

Após ter examinado 76 crises em 40 países, os economistas identificaram "certos limites e certos marcos temporais nos quais diversos indicadores sobre o crédito podem prever as crises de forma razoavelmente eficaz", afirmou a economista do Departamento de Mercados de capitais do FMI, Laura Kodres.

Segundo os economistas da instituição, um exemplo de superaquecimento do sistema financeiro é a recente alta do crédito sobre o Produto Interno Bruto (PIB), que foi superior a cinco pontos percentuais em um ano.

Contudo, como este indicador só fica disponível uma vez por ano, o FMI propôs aos especialistas outros meios mais complexos, mas de aplicação regular.