Wall Street reage e fecha em alta: Dow Jones +0,63%, Nasdaq +1,10%

A Bolsa de Nova York conseguiu reagir à queda das bolsas europeias e terminou em alta na segunda-feira (12), puxada pela alta dos papéis de bancos. O mercado, no entanto, continua cauteloso com o risco de que a crise da dívida europeia afete os Estados Unidos: o Dow Jones avançou 0,63% e o termômetro da tecnologia, Nasdaq, apresentou alta de 1,10%.

Segundo cifras definitivas, o Dow Jones Industrial Average ganhou 68,89 pontos, fechando a 11.061,12, e o Nasdaq ganhou 27,10 pontos, a 2.495,09.

O índice Standard and Poor''s 500, mais representativo da tendência geral do mercado, ganhou 0,70% (8,04 pontos), fechando a 1.162,27.

Wall Street registrou uma espetacular reação nos últimos minutos da sessão, devolvendo as perdas que havia tido durante a sessão. "Não foi tão mal como esperávamos", destacou o presidente da consultoria Hugh Johnson Advisors, Hugh Johnson. "A questão chave para os investidores há dias é se assistimos apenas a um retardamento da economia ou a algo mais grave, como uma nova recessão nos Estados Unidos. A mensagem de hoje é que se trata mais provavelmente de um retardamento", explicou, destacando que o país enfrenta numerosos problemas econômicos.

Com a exceção do Morgan Stanley, os bancos americanos terminaram todos em alta. O índice de valores bancários, cotado no Wall Street SP, ganhou 2,32%.

As principais bolsas europeias fecharam a sessão em forte baixa, devido aos temores do calote da dívida da Grécia e os efeitos que isso teria nos bancos mais expostos, especialmente os franceses.

Paris teve a sessão mais castigada, com perdas de 4,03%, seu nível mais baixo desde abril de 2009. O Dax caiu 2,27%; o FTSE Mib perdeu 3,89%, seu nível mais baixo desde 10 de março de 2009; o IBEX 35, de Madri, perdeu 3,41%, seu nível mais baixo desde 16 de março de 2009; e o Footsie-100 limitou suas perdas a 1,63%.

Na América Latina, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou em queda de 0,17%; México permaneceu praticamente estável, a (-0,06%); Santiago caiu com mais força, 2,32%; Colômbia subiu apenas 0,03% e Buenos Aires cedeu 2,36%.

No mercado obrigatório, cujos rendimentos evoluem em sentido contrários aos seus preços, o rendimento do bônus do Tesouro com vencimento para 10 anos subiu 1,930%, contra 1,915% na sexta-feira. Já os títulos com vencimento para 30 anos caíram para 3,240%, contra 3,246% na véspera.