Comissão recomenda reforma bancária até 2019 na Grã-Bretanha

Uma comissão independente recomendou nesta segunda-feira que a reforma do sistema bancário britânico seja implementada até 2019, com a separação das atividades clássicas dos investimentos financeiros.

De acordo com a recomendação, os bancos teriam prazo de vários anos, assim como solicitado, para a adaptação à reforma, que pretende evitar que um eventual novo plano de resgate seja pago pelos contribuintes.

O governo tomará uma decisão em breve, com base nas recomendações do relatório de 363 páginas da comissão, que descartou a opção de um desmantelamento de bancos denominados "universais" como Barclays ou HSBC, que durante muito tempo foram consideradas "muito grandes para falir".

A comissão independente coordenada pelo economista John Vickers ressaltou que é necessário criar divisões entre as diferentes atividades para proteger as contas particulares, o que, admite, representa mobilizar importantes capitais adicionais.

O relatório defende que o governo apresente a reforma para votação no Parlamento o mais rápido possível e reconhece que um longo período pode ser necessário para a aplicação, mas insiste que as mudanças deverão estar concluídas até 2019.