Petróleo encontrado pela primeira vez na costa da Guiana francesa

Reservas de petróleo foram descobertas pela primeira vez nas costas da Guiana francesa, anunciaram nesta sexta-feira os grupos francês Total e britânico Shell. 

A descoberta aconteceu em águas profundas (a mais de 2.000 metros de profundidade), 150 km ao leste de Caiena. Segundo o governo francês, a descoberta poderá ter importantes repercussões econômicas caso seja confirmado o potencial das reservas, apesar de alertar também que deve levar alguns anos para que a descoberta beneficie a população. 

"No momento, é muito cedo para avaliar as reservas descobertas, mas os primeiros resultados são promissores", afirma um comunicado da empresa Shell. A exploração está a cargo da empresa britânica Tullow Oil, em um empreendimento conjunto com a Shell (45% da participação) e Total (25%). 

Um porta-voz da Total confirmou à AFP que esta é a primeira descoberta de petróleo neste território francês de ultramar. A descoberta reativa as esperanças de um novo ‘Eldorado’ neste território vizinho do Brasil. 

Os ministros Nathalie Kosciusko-Morizet (Ecologia e Desenvolvimento Sustentável), Eric Besson (Indústria e Energia) e Marie-Luce Penchard (Ultramar) disseram que serão necessárias novas perfurações para avaliar o potencial da área. Caso as perfurações tragam resultados, será preciso instalar equipes de exploração. 

A Guiana francesa, cuja renda per capita é uma das mais baixas da França, jamais produziu petróleo. 

"Estamos satisfeitos com os resultados preliminares da primeira perfuração exploratória realizada na Guaiana Francesa", afirmou um responsável do Departamento de Exploração da Shell, David Lawrence. Segundo ele, "a empresa continuará com suas perfurações, avaliará os resultados e decidirá as próximas etapas". 

A plataforma petroleira de exploração foi instalada em março passado. A permissão autoriza perfurar até 6.000 metros de profundidade (2.000 metros de água e 4.000 metros em subsolo oceânico).