Executivas britânicas ganham 17 mil dólares anuais a menos que os homens

As executivas britânicas recebem em média 17 mil dólares anuais a menos que os homens, embora esta diferença tenha se reduzido em "cargos júnior", segundo um novo estudo publicado nesta quarta-feira.

O relatório do Chartered Management Institute (CMI), baseado em 35 mil executivos, mostrou que os homens ganharam uma média de 42.441 libras anuais, contra 31.895 para as mulheres, o que atesta uma diferença de 10.546 libras (17.200 dólares, 11.900 euros) ou 500 libras a mais que há um ano.

Em geral, os salários das mulheres executivas aumentaram mais que os dos homens - 2,8% contra 2,3% no último ano -, mas no ritmo atual serão necessários quase 100 anos para alcançar a paridade, afirmam os autores.

No entanto, nos cargos executivos de menor escalão, os salários das mulheres são ligeiramente superiores aos dos homens.

"Embora o CMT esteja encantado de que os salários das executivas junior estejam no mesmo nível que os dos homens, o estudo demonstra mais uma vez que as empresas contribuem para a diferença salarial entre homens e mulheres e alienam as executivas de alto nível ao seguir pagando de forma desigual homens e mulheres", estimou Petra Wilton, diretora de pesquisas do CMI.

"Esta má administração está prejudicando as empresas britânicas e é preciso enfrentá-la", acrescentou.

Neste sentido, Wilton convocou o governo a "exigir mais transparência sobre os salários das companhias em vez de estudar impor cotas obrigatórias, e forçar as organizações a revelar seus salários", sob pena de sanções.