Crise da dívida ameaça crescimento regional na Ásia

Os ministros da Economia dos países do sudeste asiático (ASEAN) ressaltaram neste sábado o perigo de uma desaceleração neste ano do crescimento econômico regional devido à crise da dívida da zona do euro e das reduções de gastos previstas nos Estados Unidos.

Os ministros, reunidos neste sábado em Manado (Indonésia), indicaram em um comunicado que preveem uma queda do crescimento de 2011 nos dez países membros da Associação de Nações do Sudeste Asiático (ASEAN).

Após uma progressão de quase 7,5% do PIB em 2010, os países da ASEAN poderiam não chegar a 6% de crescimento, afirma outro comunicado.

Por sua vez, os ministros destacaram que é necessário permanecer "vigilantes diante dos riscos e desafios" trazidos pela "crise da dívida soberana e pelos problemas orçamentários em determinados mercados desenvolvidos (ocidentais), assim como pela alta dos preços das matérias primas e dos produtos alimentícios, (além) do persistente nervosismo dos mercados financeiros".

O crescimento dos países membros da ASEAN pode se situar entre 5,7% e 6,4% em 2011, já que o comércio e os investimentos no interior desta região devem compensar a fragilidade dos países desenvolvidos.

A ASEAN é integrada por Cingapura, Indonésia, Tailândia, Malásia, Filipinas, Camboja, Laos, Vietnã, Birmânia e pelo sultanato de Brunei.