Redução de IPI deve se estender a outros materiais de construção

Mais materiais de construção devem ter nova desoneração do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), segundo informou nesta quarta-feira o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat), Melvyn Fox. O presidente da Abramat participou de uma reunião do grupo de acompanhamento da competitividade, que reúne líderes de setores da indústria e representantes do governo. Segundo Fox, a inclusão de novos materiais de construção no rol de produtos com desoneração de impostos foi um pedido do setor de construção civil.

"A ideia era aumentar a lista de produtos, queríamos, mas isso não aconteceu. Segundo o governo, não deu para condensar todas as propostas e deverá ter um novo anúncio de aumento de relação de produtos com redução de IPI. Imaginamos que devem ser produtos como telhas onduladas, vidros, pregos, pisos laminados, nosso pleito é esse. É no âmbito de continuidade do programa Brasil Maior, basicamente contemplando o Minha Casa Minha Vida", disse. Segundo o presidente da Abramat, no entanto, o governo ainda não deu prazo para a inclusão desses novos produtos no rol de desonerações.

Na semana passada, o governo anunciou o lançamento da nova política industrial brasileira, que contempla, entre outras ações, a prorrogação até o fim de 2012 da redução do IPI sobre caminhões e materiais de construção. Além disso, foi reduzida a zero a contribuição patronal para o INSS sobre a folha de pagamento de quatro setores da economia: softwares, móveis, confecções e calçados. Essa desoneração será um "projeto-piloto" e terá acompanhamento mensal do governo.

"Houve a redução dos encargos sociais e foi substituído por um imposto sobre o faturamento das empresas. Está em teste, não foi ampliado porque ainda está em teste, mas temos a expectativa de que os benefícios na área trabalhista venham para o setor da construção civil em breve", disse Melvyn Fox.