Demanda do consumidor por crédito cai pelo segundo mês seguido

De acordo com o Indicador Serasa Experian da Demanda do Consumidor por Crédito, a quantidade de pessoas que procurou crédito caiu 1,2% em julho na comparação com o mês imediatamente anterior (junho/11), a segunda queda mensal consecutiva deste indicador. Na comparação com o mesmo mês do ano passado (julho/10), a demanda do consumidor por crédito aumentou 9,3%, a segunda menor taxa de crescimento em treze meses. No acumulado do ano, a busca do consumidor por crédito foi 13,0% superior ao verificado entre janeiro e julho de 2010.

Segundo os economistas da Serasa Experian, o fato da demanda do consumidor por crédito ter recuado, em julho, pelo segundo mês consecutivo é um sinal de que o atual ciclo de aperto monetário (aumento dos juros e a adoção de medidas macroprudenciais de restrição ao crédito) deverá produzir menor ritmo de expansão do crédito ao consumidor ao longo da segunda metade deste ano.

Análise por classe de renda pessoal mensal

Excetuando-se os consumidores de baixa renda (que ganham até R$ 500 por mês), que cresceram em 0,5% a sua demanda por crédito em julho, todas as demais camadas de renda reduziram suas procuras por crédito no mês passado. A maior queda foi verificada pelos consumidores que ganham entre R$ 1.000 e R$ 2.000 por mês (recuo de 1,5%) e a menor queda foi observada pelos consumidores cuja renda mensal situa-se entre R$ 5.000 e R$ 10.000 (queda de 1,0%).

No acumulado dos primeiros sete meses do ano, os consumidores que ganham até R$ 500 por mês lideram a busca por crédito em 2011: a expansão registrada por esta classe de renda é de 31,1%. Em segundo lugar, aparecem os consumidores que ganham entre R$ 5.000 e R$ 10.000 por mês, com alta de 18,0%.

Por sua vez, o menor ritmo de crescimento da demanda por crédito foi registrado pelos consumidores cuja renda mensal situa-se entre R$ 1.000 e R$ 2.000: alta de apenas 7,2% em relação aos primeiros sete meses de 2010.

Análise por região

A única região que acusou crescimento na demanda dos seus consumidores por crédito em julho foi a Centro-Oeste (alta de 1,3%). Na região Norte houve estabilidade no mês passado e nas demais regiões foram registradas quedas nas procuras dos seus consumidores por crédito, sendo que as maiores delas ocorreram no Sul (-1,7%) e Sudeste (-1,8%).

No acumulado do ano, isto é, comparativamente ao período compreendido entre janeiro de julho de 2010, os consumidores do Nordeste lideram a busca por crédito (alta de 17,0%). Já as regiões Sudeste e Centro-Oeste estão praticamente empatadas na segunda posição da procura de seus consumidores por crédito (altas de 12,9% no Sudeste e de 13,0% no Centro-Oeste).

A última colocação fica com os consumidores da região Sul com alta de 10,4% na busca por crédito em relação aos primeiros sete meses do ano passado.