Crise econômica mundial afetará países do sudeste da Ásia

O secretário-geral da Associação das Nações do Sudeste Asiático (Asean), Surin Pitsuwan, advertiu nesta quarta-feira que a crise econômica que atinge os Estados Unidos e parte da Europa vai afetar os dez países que integram o bloco. Segundo ele, os efeitos serão sobre os investimentos diretos estrangeiros e as trocas comerciais. 

 "A crise certamente vai ter algumas implicações para os países do sudeste asiático, talvez não a curto prazo, mas a longo prazo terá um impacto negativo", alertou o secretário. 

A Asean é formada pela Tailândia, pelas Filipinas, pela Malásia, por Cingapura, pela Indonésia, pelo Brunei, Vietnã, por Mianmar, Laos e pelo Camboja. O assunto é tema de uma reunião na Indonésia, da qual participam os ministros do Comércio e da Indústria dos dez países que integram o bloco e mais os da Austrália, China, Índia, do Japão, da Nova Zelândia e Coreia do Sul. 

 Pitsuwan disse ainda que os ministros da Economia dos países do bloco e os parceiros vão discutir eventuais medidas de proteção a serem adotadas. "Alguns mercados na região estão sendo afetados, como a Coreia do Sul, que está mais exposta à economia norte-americana", lembrou o secretário. "E isso irá afetar a Asean porque a Coreia do Sul é parceira de diálogo e comercial".