Força Sindical diz que juros altos são entrave à diminuição da desigualdade social

O novo aumento da taxa básica de juros (Selic) determinada pelo Comitê de Política Monetária (Copom) não agradou ao presidente da Força Sindical, Paulo Pereira da Silva. Segundo ele, os juros altos são um empecilho à criação de novos postos de trabalho e à redução da desigualdade social. Com a nova alta, a taxa ficou em 12,5% ao ano.

“Esta política impede que o país tenha um desenvolvimento necessário para melhorar a qualidade de vida dos cidadãos, gerar empregos e distribuir a renda”, disse.

O sindicalista declarou ainda que os juros elevados beneficiam apenas uma pequena parcela da população, em detrimento da maioria dos trabalhadores. 

“Consideramos a inflação baixa essencial para os brasileiros. Mas repudiamos esta política que traz lucros vultosos apenas aos especuladores em detrimento da maioria”.