Alta da taxa de juros já era esperada, segundo Fecomércio

A alta de 0,25 ponto percentual na taxa básica de juros (Selic), a quinta consecutiva, já era esperada, segundo a Federação do Comércio do Estado do Rio de Janeiro (Fecomércio-RJ).

Para a entidade, a decisão tomada pelo Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) “aumenta a distância entre a taxa de juros praticada no Brasil e o padrão internacional”.

Segundo a Fecomércio, apesar do aumento da Selic, o gerenciamento atual das contas públicas compromete a oportunidade de o país crescer de forma mais acelerada. “Com os gastos correntes altos e uma política distorcida de crédito subsidiado, o peso das contas públicas recai sobre as famílias e as empresas de menor porte”, diz a entidade.

Para o presidente da Fecomércio, Orlando Diniz, as empresas “permanecem vulneráveis a financiamentos demasiadamente custosos.”