Dólar inicia negócios sinalizando queda de 0,18%

A moeda norteamericana inicia os negócios desta quinta-feira sinalizando queda de 0,18%, cotada a R$1,622 para compra e R$1,624 para venda. Os mercados domésticos seguem condicionados pelo ambiente externo, que permanece cauteloso em virtude da falta de perspectivas de solução para os principais fatores atuais de preocupação.

No mercado futuro da BM&FBovespa, os contratos para a virada do mês também registram queda de 0,37%, a R$ 1,625, após 14,3 mil operações e giro de  R$ 1,1 bilhão. No turismo, o dólar trocava de mãos entre R$ 1,54 e R$ 1,68, ao passo que no traveller check, era negociado entre R$ 1,57 e R$ 1,67.

No front externo, com exceção da China, o pregão foi de recuperação esta madrugada, liderado pela alta dos papéis do setor de commodities devido a elevação do preço do petróleo e cobre no mercado internacional. As empresas exportadoras também foram destaque, recuperando as perdas do pregão anterior.

A maioria das bolsas asiáticas fechou em alta nesta quinta-feira diante da valorização. No Japão o índice Nikkei 225 subiu 1,48%, aos 9.562,05 pontos. Em Hong Kong, o Hang Seng apontou alta de 0,67%, para 22.900,79 pontos. Por outro lado, em Xangai, o índice Shanghai Composite caiu 0,24%, para 2.735,21 pontos, para profissionais a preocupação de possível desaceleração no ritmo de crescimento da economia deixa os agentes cautelosos.

Por aqui, a taxa de desemprego brasileira foi estimada em 6,4% em abril deste ano, com leve baixa de 0,1 ponto percentual na comparação com o mês anterior, segundo dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Esta é a a menor taxa para o mês desde a reformulação da pesquisa em 2002.