Dados dos EUA inspiram cautela, mas Ibovespa sobe

A agenda econômica norte-americana é o destaque desta sessão e, neste sentido, o dia não deve ser de muito otimismo. Nos Estados Unidos, foi revelado há pouco que o PIB do país cresceu 1,8% no primeiro trimestre deste ano, analistas previam acréscimo de 2,2%.

E os novos pedidos de seguro-desemprego nos Estados Unidos cresceram 10 mil na semana encerrada em 21 de maio de 2011, ante os sete dias imediatamente anteriores. Os pedidos subiram para 424 mil, contra 414 mil (dado revisado) uma semana antes. Os analistas estimavam queda para 404 mil.

“O esperado é que os dados tenham impacto negativo sobre os mercados mundiais”, afirmou Roberto Alem, economista da M2 Investimentos. Neste sentido, os índices futuros em Wall Street ficam no vermelho. Na Europa, após a divulgação dos resultados, os índices recuaram.

Já aqui, o Ibovespa abriu em leve alta (0,08%). “A tendência é de que o Ibovespa siga muito volátil. Os indicadores dos Estados Unidos têm impacto ruim aqui também. Ao mesmo tempo, o Índice Bovespa já caiu de mais e tem espaço para subir”, avaliou Alem.

Na agenda interna, hoje foi revelado que o desemprego recuou 0,1 ponto percentual em abril deste ano, ante março, para 6,4%.

Na Europa, não foram divulgados dados de peso. Por outro lado, agentes acompanharam notícias corporativas. A Portugal Telecom informou ter registrado lucro líquido de € 129,7 milhões no primeiro trimestre deste ano, com expansão de 29% na comparação com o mesmo período do ano passado, quando os ganhos totalizaram € 100,3 milhões. Por ação, os rendimentos também avançaram 29%, de € 0,11 para € 0,15.

Por sua vez, a gigante espanhola das telecomunicações Telefónica anunciou que planeja cortar 8.500 de seus 30.000 funcionários na Espanha ao longo dos próximos cinco anos, ao invés dos 6.500 previstos inicialmente em três anos.

Na Ásia, a maioria das bolsas fechou em alta nesta quinta-feira diante da valorização nos preços das commodities.

No Japão o índice Nikkei 225 subiu 1,48%, aos 9.562,05 pontos. Em Hong Kong, o Hang Seng apontou alta de 0,67%, para 22.900,79 pontos. Por outro lado, em Xangai, o índice Shanghai Composite caiu 0,24%, para 2.735,21 pontos, para profissionais a preocupação de possível desaceleração no ritmo de crescimento da economia deixa os agentes cautelosos.