Participação de estrangeiros na dívida pública interna cai em abril

O aumento do endividamento do governo federal fez a participação de investidores estrangeiros na dívida interna cair em abril. Segundo números divulgados hoje (23) pelo Tesouro Nacional, a fatia dos investidores internacionais na dívida mobiliária (em títulos) interna caiu de 11,38% em março para 11,29% no mês passado.

A queda ocorreu apesar de a participação dos estrangeiros ter crescido em valores absolutos, de R$ 183,31 milhões para R$ 186,60 milhões. De acordo com o coordenador-geral de Operações da Dívida Pública, Fernando Garrido, a queda em termos percentuais ocorreu porque a presença dos estrangeiros não aumentou no mesmo ritmo que a dívida pública total. “Foi o aumento no estoque da dívida que fez o percentual diminuir”, afirmou.

De acordo com Garrido, a taxação dos investimentos estrangeiros em renda fixa, em vigor desde o ano passado, afugentou os aplicadores de curto prazo, mas manteve o interesse dos investidores de longo prazo. “Os estrangeiros continuam comprando títulos de longo prazo, numa tendência de aumento gradual”, explicou.

Em relação ao percentual de investidores estrangeiros na dívida interna, Garrido disse que o indicador permanecerá oscilando nos próximos meses em torno de 11%. “Em setembro [quando começou a cobrança do Imposto sobre Operações Financeiras - IOF], o percentual era 11,47%. A participação subiu para 11,80% em janeiro e, desde então, tem flutuado”, ressaltou.