Ibovespa cai com China em cenário europeu

Diante de cena externa bastante pesada, o principal índice acionário da BM&FBovespa chegou a recuar aos 61 mil pontos nesta primeira sessão da semana. No início da tarde, as perdas diminuíram, mesmo assim, o índice segue em baixa significativa. Compondo o cenário ruim, investidores digerem a retração da atividade industrial na China e notícias negativas vindas da Europa. Instantes atrás, o Ibovespa recuava 0,78%, aos 62.107 pontos. O giro financeiro da bolsa marcava R$ 1,877 bilhão.

Dentre os balizadores do dia, o PMI da indústria chinesa recuou para 51,1 pontos em maio deste ano, ante 51,9 pontos no mês anterior. O dado é o mais baixo em 10 meses. “O dia já começou ruim com agentes acompanhando más notícias na China. Parte da piora da indústria chinesa é efeito dos problemas no Japão. O Sul da Ásia é muito dependente do Japão. Levando isso em consideração, a tendência ainda é de piora”, avaliou Pedro Galdi, analista de investimentos da SLW Corretora.

No mesmo sentido, questões na Europa impulsionam a aversão ao risco. Após o rebaixamento do rating grego pela Fitch, na última sexta-feira (20), neste final de semana foi a vez da Itália, que viu sua nota soberana reduzida pela Standard e Poor’s. Por sua vez, na Espanha, em eleições municipais neste domingo, a chapa oposicionista saiu vitoriosa.

“Isso significa tirar do poder uma força que dominava há cerca de 10 anos. Virão mudanças por aí. O mercado teme alterações nos pagamentos de empréstimos ao país”, considerou Mitsuko Kaduoka, analistas de investimentos da Indusval Investimentos.

“O preço de risco dos PIGs [Portugal, Irlanda, Grécia e Espanha] está aumentando. Na Espanha, o governo dá sinais de perda da força, ao mesmo tempo em a Itália eleva instabilidade financeira”, completou Galdi.

Na cena interna, a agenda é pouco relevante. Dentre os destaques do dia, analistas mantiveram em 4% a previsão de crescimento para o PIB neste ano e revisaram para baixo (de 4,20% para 4,10%) a perspectiva para 2012, de acordo com o boletim Focus. A estimativa de inflação (IPCA) desceu de 6,31%, para 6,27%. Para 2012, a perspectiva elevou-se de 5,00% para 5,10%.

As ações ordinárias da Brasil Ecodiesel (-4,41%), MMX Mineração (-2,76) e Marfrig (-2,71%) lideram as baixas do dia. As blue chips Vale e Petrobras também têm forte baixa, garantindo a retração do Ibovespa. Instantes atrás, as ações preferenciais da Vale perdiam 1,30% e as da Petrobras, 2,00%. “Nesta segunda-feira dois grandes jornais internacionais publicaram matérias falando sobre o aumento da ligação do governo às grandes empresas brasileiras, isso vêm penalizando bastante estas estatais”, afirmou Galdi.

Ainda na cena corporativa, as ações ordinárias da Braskem recuavam há pouco 1,64%. O rompimento de uma tubulação em uma planta da companhia em Alagoas deixou cinco feridos nesta madrugada.

Em sentido oposto, os papéis ordinários da MRV (2,15%) e Sabesp (1,31%) lideram os ganhos na sessão. Ainda segundo Galdi, os papéis dos bancos limitam as perdas do Ibovespa nesta segunda-feira. Instantes atrás, os papéis preferenciais do Itaú Unibanco subiam 0,29% e os do Bradesco, 0,80%. As ações ordinárias do Banco co Brasil cresciam 0,59%. “Os bancos já caíram muito, agora buscam recuperação”, avaliou Galdi.