Aperto no crédito eleva falências em março, diz Serasa

SÃO PAULO - As falências requeridas aumentaram pela quarta vez consecutiva em março de 2011, totalizando 172 eventos, um aumento de 28,4% na comparação com fevereiro de 2011. A micro e pequenas empresas lideram os requerimentos, com 108 ocorrências em março, revela o Indicador Serasa Experian de Falências e Recuperações.

As recuperações judiciais requeridas, com 48 ocorrências, também aumentaram 50% na comparação de março contra fevereiro de 2011. Desse total, 29 foram requeridas por micro e pequenas empresas.

Segundo os economistas da Serasa Experian, o aperto monetário, para controle da inflação e desaquecimento da economia, via elevação dos juros, restrição do crédito e redução da liquidez, aprofundou seus impactos sobre as empresas em março.

O encarecimento do crédito nos principais financiamentos para os negócios (capital de giro, desconto de duplicatas, conta garantida e vendor), tem afetado o custo financeiro das empresas, nesse momento de receitas (vendas) menores.

O descompasso entre a geração de receitas e o pagamento das dívidas assumidas – fornecedores, investimentos e estoques – leva ao aumento das falências requeridas, analisam os economistas da Serasa Experian. Por este motivo, ocorre a expansão das falências requeridas entre março e fevereiro nas micro, pequenas e grandes empresas.

Nesse contexto, como as falências decretadas mensalmente não seguem as requeridas, pode-se notar que as recuperações judiciais requeridas, novamente, estão evitando a quebra de empresas.