Onça do ouro bate recorde histórico, a 1.433,25 dólares

A onça do ouro registrou nesta terça-feira um novo recorde, com a cotação de 1.433,25 dólares dólares às 19H00, hora de Brasília, superando o último teto observado em dezembro, tendo em vista seu valor de refúgio, em meio às tensões geopolíticas no mundo árabe.

Superou, assim, o recorde histórico de 7 de dezembro, de 1.431,25 dólares.

No New York Mercantile Exchange, o contrato com vencimento em abril, fechou a 1.433,40 dólares, um valor também inédito.

"O ouro e a prata devem continuar subindo, como parte da agitação no norte da África e no Oriente Médio, ante o voraz apetite (dos investidores) para ativos considerados mais seguros", como os metais preciosos, informou James Moore, da empresa londrina The Bullion Desk.

"No começo de um novo mês, é registrada uma recolocação (de ativos) para os mercados do ouro e da prata", destacou Rich Ilczyszyn, da Lind-Waldock.