Dieese: cesta básica fica mais cara em 14 capitais em janeiro

SÃO PAULO - O preço da cesta básica em janeiro subiu em 14 capitais brasileiras, das 17 pesquisadas pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). Segundo dados divulgados nesta sexta-feira, a maior elevação de preço foi encontrada em Brasília, de 9,41%, enquanto Curitiba apresentou a maior queda, de 2,79%. A cesta mais cara foi a de São Paulo, de R$ 261,25, e a menor, a de Aracaju (R$ 182,76).

A cesta em São Paulo ficou 1,47% mais barata em janeiro, mas mesmo assim continou sendo a mais cara entre as 17 capitais pesquisadas. Em seguida, vieram Manaus (R$ 255,80) e Brasília (R$ 255,65). De acordo com os dados, os preços superaram R$ 250 em seis capitais, e ficaram abaixo de R$ 210 em três.

O Dieese estimou em R$ 2.149,76 o salário mínimo necessário para o brasileiro conseguir suprir despesas com alimentação, moradia, higiene, transporte, saúde e lazer, valor 4,06 vezes maior que o salário em vigor de R$ 540.

Segundo a pesquisa, o trabalhador que ganha salário mínimo precisou cumprir jornada de 95h e 3 min para conseguir comprar a cesta, queda ante o resultado apurado em dezembro, de 98h e 11 min, mas maior que o resultado de janeiro de 2010, de 86h e 48 min.