Em quase 1 mês, dólar fecha na mínima graças ao otimismo externo

Pelo segundo dia seguido, a moeda americana fechou em baixa ante o real nesta terça-feira e e seguiu o maior apetite por risco no mercado internacional. Com o menor nível desde 4 de janeiro, o dólar recuou 0,60%, para R$ 1,664.

Com o euro perto de US$ 1,38, maior patamar em mais de dois meses, o dólar tinha queda de 0,9% em relação a uma cesta com as principais divisas. O dólar australiano e outras moedas de perfil semelhante ao real também se beneficiaram do cenário mais propício a aplicações de risco e subiram cerca de 1%.

A medida foi surpreendente porque o otimismo do mercado global em dados mais fortes sobre a atividade econômica. Ao longo de janeiro, o Banco Central (BC) intensificou a atuação no mercado de câmbio para tentar evitar a desvalorização do dólar ante o real, comprando a moeda à vista, a termo e no futuro por meio de swaps cambiais reversos, instrumento derivativo que equivale à compra de dólares futuros.

A intervenção de hoje (01) se resumiu a dois leilões de compra de dólares no mercado à vista, com taxas de corte a R$ 1,6645 e R$ 1,6622.