Juros bancários voltaram a subir em dezembro, diz Anefac

 As taxas de juros das operações de crédito bancário voltaram a subir no mês de dezembro, de acordo com o vice-presidente da Associação Nacional de Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac), Miguel José Ribeiro de Oliveira.

A taxa média mensal de juros para a pessoa física aumentou de 6,74% em novembro para 6,79% em dezembro, o que corresponde a 119,97% de juros ao ano, a mais alta taxa desde julho do ano passado. A taxa média para empresas ficou praticamente estável, de 3,79% para 3,8% ao mês (56,45% ao ano) e também é a mais alta desde agosto de 2010.

De acordo com o dirigente da Anefac, os aumentos podem ser atribuídos a três fatores: expectativa de elevação da taxa básica de juros (Selic), aumento do compulsório bancário e majoração do fator de ponderação de risco nas operações de crédito para pessoas físicas com prazos acima de 24 meses.

Vale lembrar, no entanto, que os aumentos do compulsório bancário e do fator de ponderação de risco se deram no dia 3 de dezembro, mas os juros bancários já haviam subido em novembro, depois de quatro meses seguidos de queda, de acordo com levantamento da própria Anefac.

Outubro foi o mês que registrou os juros bancários menos caros em 2010, quando a taxa média para operações com pessoas físicas ficou em 6,69% ao mês e, para pessoas jurídicas, em 3,76%. Apesar dos reajustes de novembro e dezembro, os juros para a pessoa física caíram 1,63% no ano (de 121,96% em janeiro para 119,97 em dezembro), ao passo que os juros para as empresas cresceram 0,64% (de 56,27% para 56,45%).

Em outubro, com taxa Selic em 10,75% ao ano desde julho, mas com pressões inflacionárias, começaram os rumores no mercado sobre a necessidade de aumento da taxa básica de juros a qualquer momento para conter as majorações de preços.

Por conta disso, Miguel de Oliveira disse que o cenário mudou e as taxas de juros devem ser elevadas mais ainda nos próximos meses, uma vez que a quase totalidade dos consultores financeiros aposta na elevação da Selic para 11,25% ao ano na reunião que o Comitê de Política Monetária (Copom) do BC fará na semana que vem.