Congresso americano aprova polêmico acordo fiscal de Obama

WASHINGTON - O Congresso dos Estados Unidos aprovou em votação final na noite de quinta-feira o polêmico acordo do presidente Barack Obama com os republicanos para evitar um aumento de impostos no início do ano e ampliar a ajuda aos desempregados, apesar de uma rebelião democrata.

Um dia depois do Senado ter aprovado o pacote por 81-19, a Câmara de Representantes fez o mesmo com uma votação de 277-148. O texto foi enviado para Obama, que deve assiná-lo para obter uma vitória bipartidária, seis semanas depois da derrota nas eleições de meio de mandato.

A estimativa é de que o acordo de 858 bilhões de dólares represente um necessário estímulo à economia dos Estados Unidos, ao mesmo tempo que aprofundará o déficit e a dívida do país, enquanto a nação mais rica do mundo tenta superar a pior crise financeira desde a década de 30.

Obama, em dificuldades desde a vitória dos republicanos nas eleições de 2 de novembro, havia destacado que o pacote amplia os cortes de impostos à classe médio por dois anos e os benefícios aos desempregados por 13 meses.

Mas os democratas da ala mais à esquerda do partido eram contrários ao plano por incluir uma extensão idêntica para os contribuintes mais ricos.