Manutenção da taxa de juros trará problemas para a economia, diz Fiesp

A manutenção da taxa básica de juros (Selic) em 10,75% ao ano trará problemas à econômica, segundo a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp). A decisão de continuar com a taxa que vigora desde julho foi tomada hoje (8) na última reunião do ano do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central.
        
Para a federação, o atual patamar de juros produz efeitos negativos sobre a atividade industrial. “Não bastando os malefícios que este cenário provoca sobre os investimentos, a sobrevalorização cambial derivada desta anomalia completa o ciclo de entraves ao setor produtivo”, diz a nota divulgada pela entidade. 
        
Segundo a Fiesp, a valorização do real provocada pelos juros altos estimula uma “enxurrada” de produtos importados que “estaria por trás do preocupante quadro de letargia da atividade industrial”.
        
O presidente da federação, Paulo Skaf, defendeu que o governo reduza os gastos públicos e promova a diminuição da Selic. “O governo precisa criar a efetiva coordenação entre as políticas de gasto público e de juros para que o Brasil possa atingir um equilíbrio econômico compatível com um desenvolvimento sustentado”.