Inflação semanal é a maior desde fevereiro, diz FGV

RIO - A inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor - Semanal (IPC-S) de 7 de novembro acelerou 0,14 ponto percentual sobre a leitura anterior, para 1,14%, maior variação desde a primeira semana de fevereiro deste ano, quando a taxa foi de 1,33%, informou a Fundação Getúlio Vargas (FGV) nesta quarta-feira.

Os preços de alimentos foram os que mais contribuíram para a alta, com a taxa de variação passando de 2,27% na apuração anterior para 2,72% nesta, principalmente pela alta das frutas (de 3,95% para 5,67%) e adoçantes (de 7,14% para 9,11%), disse a instituição.

Também cresceram as taxas de saúde e cuidados pessoais (de 0,39% para 0,47%), habitação (0,43% para 0,45%) e despesas diversas (de 0,31% para 0,37%).

Já vestuário e transportes desaceleraram na semana, de 1,01% para 0,76% e de 0,69% para 0,67%, respectivamente, segundo dados da pesquisa.

O grupo educação, leitura e recreação ficou estável em relação à semana anterior, com taxa de variação positiva de 0,34%, com destaque para a alta da passagem aérea (de 5,86% para 9,81%) e queda da taxa das salas de espetáculo (de 0,01% para -1,40%).