Ibovespa inverte sinal e finaliza no vermelho

O apetite ao risco prevaleceu na BM&Fbovespa durante boa parte do pregão desta terça-feira. As compras de ativos foram motivadas por informações positivas provenientes dos Estados Unidos e da Europa. No entanto, no final da tarde, o Ibovespa reduziu o ritmo de ganhos e inverteu a tendência, com os investidores realizando lucros. O índice desceu 0,31%, aos 69.337 pontos. O giro financeiro da bolsa somou R$ 6,012 bilhões.

“Hoje a bolsa de valores brasileira abriu em alta puxada por notícias internacionais, mas pela tarde os agentes realizaram lucros”, Newton Rosa, economista chefe da SulAmérica Investimentos.

Em um pregão sem indicadores econômicos relevantes nos Estados Unidos, as atenções estiveram voltadas para a fala do presidente Barack Obama. Ele assumiu o compromisso de estender a todas as famílias a redução de impostos hoje destinada à camada mais rica da população. A notícia renova as esperanças do mercado de que a região registre recuperação mais intensa. A medida valerá por dois anos.

“Essa medida anunciada pelo Obama é positiva já que pode reforçar a recuperação da economia norteamericana”, acrescentou o economista chefe da SulAmérica Investimentos.

E no velho continente, os ministros das Finanças da União Europeia (UE) aprovaram formalmente nesta terça-feira em Bruxelas o plano de resgate financeiro para a Irlanda, que chegará a € 85 bilhões (cerca de US$ 113 bilhões). Também foram aprovadas condições para que o país receba o pacote.

Mas o dia não foi somente de notícias positivas. Na agenda econômica da região, foi revelado que a produção industrial do Reino Unido decresceu 0,2% em outubro deste ano, na comparação com o mês anterior. Analistas estimavam aumento de 0,3%. E as encomendas às fábricas na Alemanha avançaram 1,6% em outubro, ante setembro. A projeção do mercado era de expansão de 1,9%.

Durante o dia, as informações supracitadas chegaram a valorizar as commodities, mas o movimento não se sustentou e prejudicou o Ibovespa. Diante disso, no término dos negócios, as ações preferenciais da Vale e Petrobras tiveram retração de 0,05% e 1,97%, respectivamente. Na contramão, os papéis da Gerdau (PN) se destacaram, ao avançar 2,06%.

Dentre as maiores oscilações positivas do Ibovespa finalizaram as ações ordinárias da Brasil Ecodiesel, com aumento de 1,83%. Ontem (6), a companhia informou que juntamente com a TAM e a Curcas formaram um grupo de empresas com o objetivo de analisar a viabilidade da implementação de um projeto integrado de produção sustentável de bioquerosene de aviação no Brasil.

Já entre os destaques negativos do dia encerraram os papéis preferenciais B da Copel, com recuo de 2,61% e da Eletrobras, com desvalorização de 1,63%.

Ainda internamente, acontece o primeiro dia da reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central, que anunciará amanhã (8) a decisão sobre a taxa básica de juros.