Equipe de Dilma quer reajuste do Bolsa-Família acima da inflação

 

BRASÍLIA - A equipe de transição da presidente eleita, Dilma Rousseff, prepara um reajuste acima da inflação para os benefícios do Bolsa-Família. Segundo análise feita no governo, a reposição de pouco mais de 9% da inflação acumulada pelo INPC desde o último reajuste não seria o bastante para erradicar a pobreza no país, promessa da campanha presidencial de Dilma. As informações são do jornal O Estado de São Paulo.

Em maio de 2009 ocorreu o reajuste do Bolsa-Família, cujos benefícios passaram a variar de R$ 22 a R$ 220, de acordo com o grau de pobreza e o número de filhos na família.

Devido às eleições, o programa não recebeu reajuste neste ano, o que também não é previsto pelo projeto de lei do Orçamento da União que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva enviou ao Congresso. Os gastos anuais do programa estão estimados em R$ 13,4 bilhões.