Cade aprova consórcio para construção de Belo Monte

O Conselho de Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou em reunião realizada nesta terça-feira a formação do consórcio Norte Energia para a construção da usina hidrede Belo Monte, no Rio Xingu (PA). De acordo com informações da assessoria de imprensa do órgão, a aprovação foi dada por unanimidade ao consórcio vencedor.

O Cade afirma que a ata com os detalhes da reunião, que contou com cinco membros do conselho, será liberada ainda durante a tarde desta terça.

A usina de Belo Monte tem investimentos previstos em R$ 19 bilhões e deve gerar, em média, 4.400 megawatts (MW) de energia.

O consórcio Norte Energia é formado por 18 empresas lideradas pela Companhia Hidroelétrica do São Francisco (Chesf), da Eletrobras.

Atraso nas obras

O início da construção da usina hidrelétrica pode não ter início ainda neste ano por conta de dois pareceres contrários às obras vindos do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). Segundo reportagem publicada na edição desta terça-feira da Folha de S. Paulo, a equipe encarregada de analisar os pedidos de licença para as instalações da usina emitiu os dois pareceres contrários.

Segundo documentos obtidos pelo jornal, o Consórcio Norte Energia não cumpriu condições iniciais impostas pelo Ibama para a instalação do canteiro de obras, além de ter subestimado o número de migrantes que chegariam à região de Altamira (PA) para a obra.

A licença prévia do Ibama veio em abril, que afirmou que a obra era viável desde que 40 pré-condições fossem cumpridas. Em setembro, o consórcio Norte Energia pediu ao Ibama uma licença de instalação parcial, para o canteiro de obras.