Fundo que emprestou R$ 2,5 bilhões a Grupo Silvio Santos se reúne em SP

Dinheiro foi injetado no Banco Panamericano

SÃO PAULO - O conselho diretor do Fundo Garantidor de Crédito (FGC), que emprestou os R$ 2,5 bilhões que o Grupo Silvio Santos injetou no Banco Panamericano para reequilibrar o patrimônio da instituição, está reunido em São Paulo nesta quarta-feira, onde dará uma entrevista coletiva sobre o aporte do dinheiro no banco.

O Banco Panamericano anunciou fato relevante, na noite desta terça-feira, no qual revela que recebeu aporte de R$ 2,5 bilhões do Fundo Garantidor de Crédito (FGC) para restabelecer o pleno “equilíbrio patrimonial” da instituição, ampliar a liquidez operacional e preservar o atual nível de capitalização.

A operação, de acordo com a notificação do banco, é integralmente garantida por bens do patrimônio empresarial do Grupo Sílvio Santos, controlador da instituição.

O banco ressalta também que a operação se tornou necessária a partir do momento em que identificou “inconsistências contábeis” que não refletem a real situação patrimonial do Panamericano.

O fato relevante destaca ainda que a decisão do grupo controlador do banco reflete o compromisso de preservar os interesses dos seus clientes, depositantes, fornecedores, colaboradores e acionistas. Razão porque o banco procurou o FGC, que é formado com parte dos recursos depositados na rede bancária, justamente com o objetivo de manter a estabilidade do sistema financeiro.