Demanda de petróleo crescerá 18% e barril custará US$ 113 em 2035

PARIS - A demanda de petróleo aumentará 18% entre 2009 e 2035, em grande parte graças ao consumo da China, e o barril deve alcançar o preço de 113 dólares, mas as cotações devem sofrer uma volatilidade a curto prazo, segundo um relatório da Agência Internacional de Energia (AIE) divulgado nesta terça-feira.

A AIE calcula que a demanda mundial de petróleo chegará a 99 milhões de barris diários (mbd) em 2035, uma alta de 15 milhões na comparação com 2009.

O aumento será resultado exclusivamente da demanda de países que não integram a Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômicos (OCDE), que reúne os países mais ricos do planeta e tem os interesses representados pela AIE.

De fato, metade deste aumento virá da China, em consequência da necessidade de combustíveis do gigante asiático para seu sistema de transportes, destaca a AIE, que tem sede em Paris.

Entre os países da OCDE a demanda cairá 6% no mesmo período de referência, de acordo com o relatório sobre as perspectivas energéticas mundiais da AIE.

A Agência prevê ainda uma forte volatilidade dos preços do petróleo a curto prazo, mas com uma recuperação a longo prazo, com a perspectiva de um barril a 113 dólares em 2035. A cotação média do barril de petróleo atualmente é de 85 dólares.