Receios com Fed seguem no foco e Ibovespa cai 0,35%

Os receios dos investidores em relação aos próximos passos do Federal Reserve (Fed, o banco central norteamericano) continuaram ditando o rumo dos negócios das bolsas norteamericanas. Seguindo este movimento, o Ibovespa apontou desvalorização de 0,35%, aos 70.320 pontos. O giro financeiro da bolsa brasileira fechou em R$ 6,768 bilhões. Depois de abrir em alta, o principal índice acionário da BM&FBovespa inverteu a tendência, replicando o ambiente negativo de Wall Street. Nem mesmo balanços corporativos positivos elevaram o ânimo dos agentes. Para José Raymundo de Faria Junior, diretor técnico da Wagner Investimentos, a reunião do Fed programada para a próxima semana induz os investidores as embolsar os ganhos recentes, uma vez que não sabe se realmente será lançada alguma medida para estimular a economia e quanto será injetado.

"Os próximos pregões ainda serão marcados pela volatilidade em um momento que os agentes preferem desmontar posições porque não sabem o que virá pela frente", acrescentou o diretor técnico da Wagner Investimentos.

Em meio às expectativas, segundo o executivo, os investidores ignoram resultados trimestrais positivos. Dentre eles, vale ressaltar os números da Colgate-Palmolive. A companhia lucrou US$ 619 milhões (US$ 1,21 por ação) no terceiro trimestre de 2010, superando as estimativas dos analistas.

Na agenda de indicadores, em um dia fraco de dados, o mercado tomou conhecimento que o número de novos pedidos de auxílio-desemprego nos Estados Unidos recuou em 21 mil na última semana.

Internamente, o comportamento negativo das blue chips pressionou o Ibovespa. As ações da Vale (PNA) tiveram recuo de 1,68%. De acordo com Paulo Hegg, operador da Um Investimentos, o mercado recebeu bem o balanço da mineradora, no entanto, o lucro recorde já era esperado. "Porém, a companhia anunciou que o investimento para 2011 será de US$ 24 bilhões, e o mercado aguardava cerca de US$ 25 bilhões", avaliou Hegg.

Os papéis da Petrobras (PN), por sua vez, um dia depois do boato de que a estatal poderia anunciar um megacampo após as eleições, encerraram em alta de 0,26%. Segundo José Raymundo de Faria Junior, diretor técnico da Wagner Investimentos, os investidores deveriam tomar cuidado com as ações da companhia, já que a recomendação não é de Compra.

Entretanto, o desempenho dos papéis de siderúrgicas influenciou para que o Ibovespa encerrasse próximo a estabilidade. Isso porque, o mercado recebeu com bom humor à informação de que a Usiminas lucrou R$ 495 milhões no terceiro trimestre deste ano, com expansão de 14% na comparação anual. Com isso, as ações da Usiminas ON e PN avançaram, nesta ordem, 1,95% e 4,53%. Já os da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) (ON) aumentaram 2,08% e da Gerdau (PN) subiram 3,67%.